A VIOLETA 19 | 2 VIDEOPOEMAS DE VAL MELLO E JORGE VENTURA

Sinopse

Inspirados em uma das lendas da violeta, que começa a eclodir ao final do rigoroso inverno para florir irradiante na primavera, Val Mello e Jorge Ventura costuram seus poemas de modo a exprimir o canto de amor sobre a saudade, de acalanto sobre a angústia, de equilíbrio sobre o desespero. A obra A Violeta Dezenove – Uma Transmutação Pandêmica expõe os sentimentos de tantos humanos no planeta Terra, as dores da pandemia e a alegria suprimida pela ausência de parentes, amigos, vizinhos e conhecidos que se foram, sobrando aos demais a esperança de um novo florescer. É a mensagem de otimismo, escrita a quatro mãos, sob a força transformadora da poesia. A exibição desses dois book-trailers, “Distância” (fragmentos dos poemas Vontades sob Domínios / Lugar Alheio (Val Mello) e Beijo de Lua / Empatia (Jorge Ventura) e “Surto” (Sobras e Faltas / Histeria Deferida (Val Mello) e Memento Pandêmico / Brado (Jorge Ventura), faz parte da campanha de divulgação da obra. Abaixo, o escopo poético que serviram de roteiros.

 

 

Vídeo título: Distância

Temas: Distância / Altruísmo

Fragmentos dos poemas:

Vontades sob Domínios / Lugar Alheio (Val Mello) e Beijo de Lua / Empatia (Jorge Ventura)

 

VM:

Tantas vezes desejei

ver o mundo inteiro inerte,

tudo em nome do meu ócio.

 

Hoje vejo minha clausura

escondida atrás da máscara,

implorando um abraço

que por decreto não vem.

 

JV:

Estamos devidamente distanciados.

Falta o feixe de luz da manhã adentrar a sala.

Faltam os miados, os latidos e a minha voz.

Faltam os amigos.

Sim, eu sei que não estás aqui.

 

VM:

Um gole, um porre…

De repente, nem um toque…

JV:

Mensagens pelo WhatsApp,

poemas, telefonemas…

VM:

Desses vazios opacos,

homens em separação.

Silêncio…

JV:

Insípido…

VM:

Inodoro…

JV/VM:

Atrás das máscaras!

 

 

Vídeo título: Surto

Temas: Surto / Angústia

Fragmentos dos poemas:

Sobras e Faltas / Histeria Deferida (Val Mello) e Memento Pandêmico / Brado (Jorge Ventura.

 

JV:

Podem matar poetas,

mas nunca a poesia.

Resvala-se sobre nós

tudo é talho e perfurante…

VM:

Indivíduos isolados

a tecerem novos tempos.

Faltam risos, faltam cores

numa aglomeração de vazios.

Às faltas sobram as sobras…

JV:

Podem morrer poetas,

o que apenas antecipa

o que subjaz a velha sina:

Toda dor se sabe antes que a saibamos…

VM:

Antes que a saibamos…

JV:

Me descabelo!

Me despentelho!

Me descaralho!

VM:

Dos vãos e vácuos,

pelas janelas entreabertas,

sinto um vazio de pensamentos…

A loucura em custódia

faz em mim um eu à parte.

JV:

No vagido do meu Ser

me transformo…

Feito um louco em surto…

JV/VM:

Brado!


Jorge Ventura – É poeta, escritor, editor, jornalista e publicitário. Tem 9 livros, incluindo um E-book, em coautoria com a poeta Val Mello. Sua obra também pode ser encontrada em dezenas de coletâneas nacionais e estrangeiras. Tem poemas vertidos para os idiomas inglês, francês, espanhol, italiano e grego. É presidente da APPERJ (Associação Profissional de Poetas no Estado do Rio de Janeiro), membro da UBE – RJ (União Brasileira de Escritores) e um dos integrantes do grupo Poesia Simplesmente. Premiado como melhor autor e melhor intérprete em diversos concursos literários.

Val Mello – É multiartista piauiense. Bacharel em Administração de empresas, pós graduada em Gestão da Qualidade, poeta, performer, artistas plástica. Faz parte da diretoria da APPERJ- Associação Profissional dos Poetas no Estado do Rio de Janeiro. Remonta versos e aforismos em sua página do Instagram   @poesia_ruiva e suas ilustrações em @visual_poema. Participou de inúmeras coletâneas poéticas, lançou seu primeiro e-book em 2020, “A Violeta 19 – Uma Transmutação Pandêmica”, em coautoria com o jornalista e poeta, Jorge Ventura. Seu primeiro livro solo, intitulado “Vermelhos InVersos”, foi lançado em abril de 2021. Tanto o e-book, quanto o livro físico, possuem o selo da Ventura Editora.

Depoimento de Jorge Ventura:

“É muito importante e salutar para a cultura de qualquer país do mundo que haja sempre espaço – seja virtual ou presencial – para a arte e a poesia acontecerem como mecanismos de transformação social, ideológica e educacional. Portanto, parabéns ao diretor geral do site ablucionistas.com, seus curadores de conteúdo e a todos e todas participantes com os respectivos trabalhos. Evoé”!
Leave a Comment

Categorías