É CLARO QUE EU QUERIA | BRUNO COSENTINO

 


Bruno Cosentino é cantor e compositor. Parceiro de poetas contemporâneos como Eucanaã Ferraz, Antonio Cicero, Paulo Henriques Britto e o colombiano Carlos Milán. Em 2012, lançou parte dessa parcerias em A eletrônica e musical figuração das coisas, seu primeiro álbum, com a banda Isadora. Desde então, integrou a banda Panamericana, composta por Dado Villa-Lobos, Dé Palmeira, Charles Gavin e Tony Platão. Participou da regravação do primeiro disco de Jards Macalé e do disco/show/documentário “Projeto Agenor: canções de Cazuza”, idealizado pelo Dj Zé Pedro. Participou do show comemorativo em homenagem a Marina Lima, que contou também com a presença dos cantores Marcelo Jeneci, Mãe Ana, Qinho, além da própria Marina. Em março de 2015, Bruno Cosentino lançou Amarelo, seu primeiro trabalho solo, com canções compostas especialmente para o álbum. Em 2016, lançou Babies, disco com estética pop em parceria com a jovem banda Exército de Bebês. Em 2017, o terceiro disco, Corpos são feitos pra encaixar e depois morrer, misturando a sonoridade de banda com orquestra e produzido pelo renomado Chico Neves. No segundo semestre de 2020 lançou seu quarto e elogiado álbum de estúdio: Bad bahia, com canções inéditas e de sua autoria.

Leave a Comment

Categorías