TRÊS POEMAS INÉDITOS | DUDA LAS CASAS

UM PRATO PARA OS ANCESTRAIS

Os sírios chegam ao Piauí 

a cigana troca o dólar 

de barco 

atravessar o Delta do Parnaíba 

com toda a angústia de ver a dor do mundo

desfazer as montanhas de areia 

Em Floriano

as patas dos caranguejos são quebradas por meus avós

Sigo eles daqui 

a receita

da carne crua

o charuto de folha de uva

a esfiha aberta

Quando piso com os parafusos

eles todos se posicionam atrás de mim 

O húmus se espalha por todo o teto  

 


 

O UNIVERSO ESTÁ DO SEU LADO

 

Faz silêncio no Rio

a cartomante diz 

quando você se tocar

já estarei em outra

 


 

DIA D

 

Que falta me faz um barco 

Para encarar de frente 

um aquário sem peixes

Construir um barco que vá 

da terra para o céu  

escaldar os pés

no cosmos

a sardinha

vira o infinito

∞ 

dois 

bicos 

no pau da cegonha

um presente 

a uma criança solitária

=

dois 

riscos 

confirmam

Eu estou sempre grávida

 


Duda Las Casas é artista visual, poeta, diretora de cinema e tv. Atualmente vive em Lisboa, onde estuda a língua portuguesa, na Universidade Nova de Lisboa e administra uma página de memes. Seu primeiro livro, Viseira será lançado pela editora 7letras.

Leave a Comment

Categorías