VESTÍGIOS DE AVALOVARA | THIAGO PONCE DE MORAES

Thiago Ponce

VESTÍGIOS DE AVALOVARA

I.

reversibilidade vertiginosa das palavras
rumor do mar pela costa
este horizonte
um mapa
apanha traços do destino
emaranha
tua voz
paragem
em que meus ossos rangem
tuas costas que parecem ir para sempre
espirais
sem início
ou fim

II.

teus pés
cavados nas plantas
curvas e claras
as solas
tocam
o solo
escuro do futuro
e com as pontas dos dedos
dispersar sementes
para germinação na primavera
cavar a terra
revolvê-la
flor e fruto
virá-la
transplantar-se

III.

damo-nos as mãos

morna e cautelosa palma
contra palma
ramos emaranhados
rostos em
exploração
linhas a serem
cerzidas
por teu olho
em destino
encargo tortuoso

pousa o dorso
da tua demora sobre
a concha que nasce
após meu pulso
ímã sob a pele
danos e enganos
desastre
de barco à deriva
desvario da alma
e da calma

caminhamos

IV.

cem manchas insidiosas
semelhantes a olhos
de que só no sono esqueço
sono
onde incessantemente nasço
e cresço
nos meus subterrâneos
escureço em falso
veias sob a pele
fazem do sangue
centelha ante a chama
estalo diante dos teus passos
dolorosos
qual quebrar de ossos
dos meus braços
pelo frágil
do teu toque
em que acordo
outro
e me abraças


THIAGO PONCE DE MORAES (1986–) es poeta y traductor. Es autor de Imp. (Caetés, 2006), De gestos lassos ou nenhuns (Lumme Editor, 2010) y Dobres sobre a luz (Lumme Editor, 2016, finalista del Premio Jabuti), además de los libros de ensayo Remos e Versões (Multifocus, 2012), Específica experiencia da leitura de Ricardo Reis e Paul Celan (NEA, 2014) y Nó de ar (NEA, 2018). Posue doctorado en Literatura Comparada de la Universidad Federal Fluminense, en Río de Janeiro, con estudio sobre la obra de Paul Celan; y es profesor del Instituto Federal de Río de Janeiro. Ha participado en diversos festivales en Europa y en América Latina, entre ellos Struga Poetry Evenings (Macedonia, 2016), Festival of World Literature (Croacia, 2018) y Festival Internacional de Poesía José María Heredia – FIP TOLUCA (México, 2018). Hace lecturas semanales en @poemateca – su perfil de poesía en Instagram. Es curador de poesía brasileña del portal Ablucionistas.


fotografía de Caligari Escobar

Leave a Comment

Categorías